F

Associação Antioxidante na Endometriose

por / 12 Abril 2021 / Conhecimento

Associação Antioxidante na Endometriose

N-acetilcisteína, Ácido Alfa Lipóico, Bromelina e Zinco Melhoram a Dor Pélvica Associada e Reduzem o Uso de Analgésicos


Introdução
A endometriose é uma doença benigna caracterizada pela presença de tecido endometrial (glândulas e estroma) fora da cavidade uterina. Como consequência do agravamento dessa doença há a sobrevivência do tecido ectópico fora da cavidade uterina, supressão de mecanismos imunes, aderência ao peritônio e invasão da matriz extracelular, angiogênese e crescimento do implante, inflamação, sangramento cíclico e progressão da doença. Além disso, o estresse oxidativo tem sido demonstrado em todos esses processos, com a produção de radicais livres que favorecem a persistência da doença.


Recentemente, a combinação de N-acetilcisteína, ácido alfa lipóico, bromelina e zinco foi avaliada na endometriose, e estudos clínicos demonstraram sua eficácia no controle da dor pélvica associada a endometriose, sem impactar na fertilidade dos pacientes e com melhor perfil de efeitos adversos que anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs).



Resultados
Através de um estudo multicêntrico com o objetivo de avaliar uma preparação antioxidante na dor pélvica associada à endometriose, os seguintes resultados foram obtidos: 


  • No início do estudo, 92,7% dos indivíduos tinham intensidade da dor > 4 na Visual Analogue Scale (VAS). Após 3 meses de tratamento, essa porcentagem reduziu para 87,2% e aos 6 meses foi de 82,7%;
  • Além disso, 344 das 398 (86,4%) pacientes precisavam de Anti-Inflamatórios Não Esteroidais (AINEs) para controle da dor no início do estudo. Após 3 e 6 meses de tratamento, essa porcentagem reduziu para 57,4% e 37,4%, respectivamente.



Média do Escore VAS

Início do Estudo

6,68

Após Três Meses

4,55

Após 6 Meses

3,52



Conclusão
O estudo demonstrou que o tratamento com a associação de N-acetilcisteína, Ácido Alfa Lipóico, Bromelina e Zinco em mulheres com endometriose que desejam engravidar melhora significativamente a dor associada e reduz o consumo de analgésicos de resgate.

TOP