F

Associação de Óleo de Peixe, Hidroxitirosol e Curcumina Reduz a Inflamação e a Dor Induzidas Pela Terapia de Câncer de Mama

por / 22 Março 2021 / Conhecimento
Pacientes com câncer de mama enfrentam numerosos desafios médicos. Recorrências até 15-20 anos após o diagnóstico permanecem um risco e à medida que esse risco diminui, os eventos cardiovasculares assumem maior importância. 

As toxicidades da terapia, como os sintomas musculoesqueléticos associados aos inibidores da aromatase (AIs), manifestando-se como artralgias e mialgia, frequentemente comprometem a qualidade de vida, limitam a adesão e promovem interrupção precoce da droga, o que tem sido associado com aumento da mortalidade.

Inflamação 

A inflamação crônica contribui para carcinogênese e promoção de câncer de mama existente, além de ser um fator nas complicações relacionadas a terapia do câncer de mama. Essa inflamação resulta em parte da geração de espécies reativas de oxigênio que danificam o DNA sob a influência de citocinas inflamatórias, enquanto o microambiente inflamatório de cânceres estabelecidos promove o crescimento e progressão tumoral, transição epitelial-mesenquimal, angiogênese, metástases e resistência à terapia e ao ataque imune.

Apesar dos mecanismos envolvidos na artralgia associada a aromatase sejam discutidos, a inflamação é provavelmente um fator contribuinte, principalmente a nível de articulação local.

Evidências sugerem que eventos patogênicos discrepantes convergem em uma cascata comum de citocinas inflamatórias, originadas com a ativação mediada por inflamassomas de interleucina (IL)-1β e subsequentemente IL-6.

Um dos marcadores inflamatórios downstream bem descritos é a proteína C reativa (PCR) produzida no fígado em resposta a produção de IL-6 por macrófagos e células T. Altos níveis de PCR estão associados com aumento do risco de doenças cardiovasculares e mortalidade geral, além de estarem correlacionados com redução na sobrevida de indivíduos com câncer metastático.

Mecanismos do Óleo de Peixe, Hidroxitirosol e Curcumina

Os ácidos Graxos Ômega-3 exercem efeitos anti-inflamatórios através de diversos mecanismos, como reposição do ácido araquidônico em membranas fosfolipídicas, inibição direta de fosfolipases, síntese de metabólitos anti-inflamatórios e redução dos biomarcadores inflamatórios circulantes.
A administração de hidroxitirosol (em extratos ou purificado) em animais e humanos apresentou efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios. Além disso, também reduziu genes relacionados à osteoartrite (OA) em condrócitos humanos exibindo características semelhantes à OA.
A curcumina demonstrou reduzir a PCR em alguns casos, mais provavelmente através da inativação do NFkB que regula negativamente o TNF-α, IL-1, IL-2, IL-6, IL-8, IL-12 e quimiocinas (Martinez et al., 2018).


Objetivo do Estudo:

O objetivo desse estudo prospectivo, multicêntrico, aberto e clínico foi avaliar os efeitos do hidroxitirosol, ômega-3 e curcumina na redução dos níveis de proteína C reativa (PCR) e sintomas musculoesqueléticos em pacientes com câncer de mama sob terapia hormonal adjuvante. Para isso, 45 pacientes pós-menopausadas com diagnóstico de American Joint Commitee on Cancer (AJCC) Estágio 0-IIIA, níveis elevados de PCR e em tratamento com, principalmente, inibidores da aromatase receberam durante 30 dias uma suplementação com Óleo de Peixe (460 mg), Hidroxitirosol (12,5 mg) e Curcumina (50 mg) três vezes ao dia.


Resultados:

A média de PCR no início do estudo foi de 8,2±6,4 mg/L. Após 30 dias houve redução dos valores para 5,3±3,2 mg/L;
Após 30 dias também foi observada uma redução de 1,6 pontos nos escores de dor avaliados pelo Brief Pain Intensity Score;
Houve uma redução nos níveis de IFN-gama de 8,7% após 30 dias comparados os níveis do início do estudo. Os biomarcadores inflamatórios foram estáveis ao longo do estudo;
Também foi observada uma redução de 7% nos triglicerídeos, enquanto o HDL não sofreu alterações comparado aos valores basais e o LDL não apresentou aumento significativo.

Conclusão

A combinação de hidroxitirosol, ômega-3 e curcumina reduziu a inflamação como indicado por uma diminuição em PCR. Além disso, também houve redução da dor em pacientes com sintomas musculoesqueléticos induzidos pela aromatase.

TOP