F

Cacau Aumenta a Capacidade Antioxidante Endógena

por / 6 Maio 2021 / Conhecimento

Introdução



O cacau é uma planta rica em flavonóis, que são um subgrupo de substâncias de derivados de plantas denominado flavonoides. Os compostos fenólicos principais encontrados na semente de cacau estão situados dentro das classes dos taninos e dos flavonoides. As sementes do cacau contêm uma série complexa de procianidinas, formadas a partir da condensação de unidades individuais de catequinas ou epicatequinas, chamadas monômeros, por isso, são também conhecidas como taninos condensados. As procianidinas diferem na posição e na configuração das ligações entre os monômeros, e são encontradas em altas concentrações em cacau e chocolate, uvas e vinho, maçã e amendoim.


O cacau possui as seguintes propriedades: redução da oxidação do LDL-colasterol, aumento dos níveis HDL-colasterol, diminuição dos níveis de triglicerídeos, redução da agregação plaquetária e melhora da sensibilidade à insulina, função endotelial e pressão sanguínea. Os flavonóis do cacau estimulam a produção de óxido nítrico vascular a partir do endotélio e melhoram a dilatação fluxo-mediada da artéria braquial.



Estudo Comprova


O objetivo do estudo conduzido por Davinelli et al. (2018) foi avaliar os efeitos da suplementação de cacau no perfil lipídico, nos níveis de glutationa e nos níveis de F2-isoprostano. Os resultados obtidos foram:

  • Após quatro semanas, os níveis de colesterol total foi reduzido em -12,37 (p<0,0001), de triglicerídeos em -3,81(p<0,0001), de LDL-colesterol em -14,98 (p<0,0001) e LDL-oxidado em -95,61 (p<0,0001) no grupo que recebeu alta dose de cacau em comparação com a linha base;
  • Neste mesmo grupo os níveis de HDL- colesterol foram aumentados em +3,37 (p<0,0001);
  • Os níveis de glutationa foram aumentados em todos os grupos tratados com cacau;
  • Os níveis de F2-isoprostano reduziram no grupo 2 (-0,73; p<0,0001) e grupo 3 (-1,62; p<0,0001);
  • Ao término do estudo, houve uma significativa redução na razão ácido araquidônico/ácido eicosapentaenóico no grupo 1(-2,62; p=0,003), grupo 2(-5,24; p<0,0001) e grupo 3 (-7,76; p<0,0001) quando comparado com a linha base.



Conclusão
Pode-se concluir que a suplementação de altas doses de cacau promoveu redução de forma significativa dos níveis lipídicos, aumento do HDL-colesterol. A suplementação também reduziu os níveis de F2-isoprostano, a razão ácido araquidônico/ ácido eicosapentaenóico e aumentou a capacidade antioxidante endógena notada pelos níveis elevados de glutationa.

TOP