Citrato de Potássio é Eficaz na Osteopenia em Mulheres na Pós-Menopausa

por Equipe Hi Nutrition / 23 Setembro 2021 / Conhecimento

Introdução
Evidências puderam constatar que a acidose influencia de forma direta a atividade de osteoblastos e osteoclastos. Enquanto o último é considerado virtualmente inativo a um pH de 7,4, as propriedades de reabsorção são estimuladas quando o pH cai abaixo de 6,9.

O meio ácido também é inibitório de forma significativa da função osteogênica, incluindo a produção de matriz extracelular, atividade de fosfatase alcalina e a formação de osso trabecular.

Sendo assim, suplementos que possuem essa ação alcalinizante têm sido propostos como uma alternativa para limitar os efeitos adversos da acidose e retardar a perda óssea.

O citrato de potássio é um componente alcalinizante utilizado para aumentar o pH da urina e prevenir a precipitação de solutos no trato urinário.

Estudos in vitro demonstraram que o citrato de potássio é capaz de prevenir os efeitos adversos biológicos que um pH extracelular baixo induz nas células ósseas humanas.

Estudo Comprova

Em um estudo randomizado, duplo-cego e placebo-controlado conduzido por (Granchi et al., 2018) foi possível avaliar o citrato de potássio no turnover ósseo em mulheres com osteopenia na pós-menopausa. Os resultados obtidos foram:

ü  No início do estudo, 90% dos pacientes apresentaram baixa excreção de potássio nas amostras de urina de 24h e 85% dos casos tinham pelo menos um parâmetro de urina associado a acidose de baixo grau (baixo pH e baixa excreção de citrato);

ü  Após o tratamento, CTX e FAO diminuíram significativamente em ambos os grupos, porém os indivíduos com evidências de acidose de baixo-grau foram significativamente beneficiados após o tratamento com citrato de potássio comparado ao placebo;

ü  Em pacientes com baixa excreção de citrato na urina de 24h no início do estudo, foi observada uma redução média de 30% em FAO e CTX após 6 meses. Essa diminuição também foi evidente quando o citrato baixo (FAO: -25%; CTX -35%) e um pH baixo (FAO: -25%; CTX: -30%) foram encontrados na urina em jejum.

 

Conclusão


Foi possível concluir que a suplementação com citrato de potássio melhora os efeitos do cálcio e vitamina D em mulheres osteopênicas com déficit de citrato e de potássio documentado e perfil metabólico consistente com acidose de baixo-grau.

 

Referências
GRANCHI, D.  et al.
Potassium Citrate Supplementation Decreases the Biochemical Markers of Bone Loss in a Group of Osteopenic Women: The Results of a Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Pilot Study. Nutrients, v. 10, n. 9, Sep 12 2018. ISSN 2072-6643. 

 

 

 

 

 

TOP